sexta-feira, 24 de junho de 2011

Como abordar o seu cliente

Certo final de semana, estava passando em frente a uma loja de venda de veículos novos.
Como meu carro já começa a dar sinais do tempo, com um probleminha aqui, outro ali, fiquei curioso em saber  quanto ele valia, e já que estava em frente resolvi parar e perguntar.
Quando estacionei o carro em frente a loja, um vendedor veio ao meu encontro, mesmo eu estando ainda na calçada, e já veio logo com a frase:
- Eu estava saindo mas agora nem vou mais, você tem cara de comprador e que vai fechar o negócio!
Que bela abordagem ao cliente não acham?
Ele mal sabia se eu estava entrando na loja certa, se eu queria oferecer meu carro para apenas vender e pegar o dinheiro ou qualquer coisa do tipo.
Entrei junto com ele na loja expliquei que o meu carro era um Celta, e que gosto dos carros da Chevrolet, aproveitei também para informá-lo que estava apenas pesquisando por curiosidade. Ele me fez sentar e fez uma proposta de cálculo de quanto ficaria o carro novo em 24 ou em 48 vezes. Aí ele teve a brilhante idéia de me levar para fazer o test drive.
O test drive merece um parágrafo a parte...
Primeiro ele nem perguntou se eu queria ou não fazer, simplesmente me conduziu a isso. Detalhe importante é que fiz o test drive no Celta, o mesmo carro que eu tenho!!! Para ficar ainda mais cômico, não tinha um carro disponível na porta da loja, então ficamos andando pelo imenso estacionamento procurando um carro.
Ao sair da loja com o carro de teste senti que não estava legal, o motor estava fraco, chegou a “engasgar” algumas vezes. Dei a tradicional volta no quarteirão, e quando estava retornando à loja,  o carro parou. Terminei meu trajeto sendo empurrado pelos funcionários para dentro da loja.
 Depois desta bagunça retornei a mesa dele, e veio a frase:
- Bom voce já conhece o carro né, este aí me fez passar vergonha. Mas e aí, vamos fechar negócio?
Nem preciso falar que não fechei.
Acho que algumas empresas precisam se atentar nos treinamentos de seus vendedores (se é que isso é feito), é necessário que eles primeiro conheçam a necessidade do cliente, o produto que mais se adéqua ao bolso de cada um para depois tentar vender algo que ambas as partes fiquem satisfeitas. Afinal de contas comprar um carro não é como comprar um chocolate, ou uma camiseta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário